Tesla enfrenta um novo processo ligado ao Autopilot

A Tesla está sendo processada pela família de um homem de 50 anos que morreu em um acidente enquanto utilizava o sistema de piloto automático da empresa, o AutoPilot. A acusação é por homicídio culposo e exige uma indenização de US$ 15 mil.

O Homem chamado, Jeremy Beren Banner, não foi o primeiro a morrer durante o uso do AutoPilot, mas sua família é apenas a segunda a processar a Tesla. Banner morreu enquanto dirigia a cerca de 110 km/h em 1° de março deste ano. Seu Tesla Model 3 colidiu com um trator-reboque que cruzava seu caminho, que arrancou o teto do carro. O veículo finalmente parou a cerca de 600 metros do local do impacto.

A Tesla, têm opiniões um pouco distintas sobre como o acidente aconteceu. Segundo relatório do NTSB, Banner ativou o Autopilot cerca de 10 segundos antes da colisão. A agência disse que o veículo "não detectou as mãos do motorista no volante" oito segundos antes da batida. A investigação completa provavelmente levará mais de um ano para ser concluída.

carro Tesla elon musk Acidente piloto automático
Curtiu esse conteúdo? Assine nossas newsletters e fique por dentro do que acontece em primeira mão!
Compartilhe com seus seguidores
Assine nossa newsletter!
Parabéns! Sua assinatura foi recebida com sucesso!
Atenção: Em instantes você receberá um email de confirmação da assinatura. Para efetivá-la, clique no link de confirmação que você receberá. Verifique também sua caixa de SPAM, pois por se tratar de um email automático, seu servidor de emails poderá identificar incorretamente a mensagem como não solicitada.