A música é muito boa...

Sergio Alpendre, editado por Wharrysson Lacerda
Yesterday, o filme (Divulgação)
Compartilhe com seus seguidores

Assim que tomamos conhecimento da premissa do longa Yesterday, ficamos animados, principalmente se gostamos de música e, por consequência, da banda inglesa The Beatles. O nome de Richard Curtis no roteiro nos mantém ansiosos, pois se não é um diretor de primeira (nem de segunda, aliás), seus roteiros costumam ser inteligentes. Aí vemos que o diretor é Danny Boyle e todo o entusiasmo vai abaixo.

A premissa: após ser atropelado, com sua moto, por um ônibus, depois de um misterioso blackout mundial de doze segundos, Jack Malik (Himesh Patel), um músico medíocre, acorda em um mundo paralelo em que os Beatles não existem. Ele lembra de todas as músicas, cantam para os amigos, mas nenhum deles as conhece. Vai ao google pesquisar e... nada. Aparentemente, Paul, John, George e Ringo nunca se juntaram para formar uma banda.

Ele cai na tentação de apresentar as músicas como escritas por ele. Não dá outra. Faz sucesso local e logo depois conquista o mundo. Torna-se o maior compositor vivo e tem de viver com essa grande mentira, além de prejudicar o seu relacionamento com a amiga de infância, e antiga empresária, Ellie (Lily James) que ele sempre quis como namorada (um sentimento recíproco entre eles).

O que acontece é exatamente o que esperávamos. A direção de Boyle se esforça miseravelmente para destruir um roteiro razoável a partir de uma premissa que agrada qualquer melômano. Temos então a seguinte equação: tudo que é relativo à música é, no mínimo, interessante, e tudo que diz respeito às tentativas de fazer uma comédia romântica é um tremendo fiasco. 

Na questão musical o filme vai cada vez melhor, então convém não dizer mais nada, para não estragar a experiência do espectador. Por outro lado, no romance entre o músico e sua antiga empresária, a coisa fica cada vez pior, com direito ao velho clichê da demonstração pública de amor (e bota pública nisso) e o filme se torna um embate entre o mau cineasta e a boa premissa desenvolvida com alguma competência e uma certa ingenuidade por Curtis. 

No elenco, destaque absoluto para a empresária milionária de Jack, Debra (Kate McKinnon), uma loira de gestos masculinizados que só pensa em dinheiro, além de uma participação especial bem humorada de Ed Sheeran ("Hey, Dude").

Filmes Cinema Filmes&Series
Curtiu esse conteúdo? Assine nossas newsletters e fique por dentro do que acontece em primeira mão!
Compartilhe com seus seguidores
Assine nossa newsletter!
Parabéns! Sua assinatura foi recebida com sucesso!
Atenção: Em instantes você receberá um email de confirmação da assinatura. Para efetivá-la, clique no link de confirmação que você receberá. Verifique também sua caixa de SPAM, pois por se tratar de um email automático, seu servidor de emails poderá identificar incorretamente a mensagem como não solicitada.