Briga! Apple acusa Google de criar pânico ao divulgar falha no iOS

Rafael Rigues
Apple (Divulgação)
Compartilhe com seus seguidores

Segundo a empresa, ataque foi focado em uma pequena parcela da população global (membros da etnia Uighur), e durou apenas um 'breve período' em vez de 'dois anos'. Falha já foi corrigida

A Apple postou em seu site um comunicado esclarecendo declarações recentes do Google sobre uma falha de segurança que teria permitido a malfeitores monitorar a atividade de usuários do iPhone
 
De acordo com a empresa, o post do Google cria a falsa impressão de um 'ataque em massa' para monitorar a atividade privada de populações inteiras em tempo real', o que 'nunca foi o caso'.
 
Segundo o Google, hackers estavam explorando falhas no iOS para infectar sites com conteúdo relacionado à etnia Uighur, uma minoria da população chinesa que está sofrendo repressão pelo governo do país. A idéia seria, através dos sites, infectar os smartphones dos usuários e monitorar suas atividades. De acordo com a empresa, o ataque vinha acontecendo 'há dois anos'.
 
Mas segundo a Apple, evidências apontam que os ataques ficaram no ar por um breve período de tempo, e não por 'dois anos'. Além disso a falha teria sido corrigida em fevereiro, menos de 10 dias após o Google reportá-la à Apple. A empresa afirma que, na verdade, ela já estava sendo corrigidas quando o Google as reportou.
 
Segundo a Apple, 'a segurança é uma jornada sem fim, e nossos consumidores podem ter confiança de que estamos trabalhando a favor deles'. Recentemente, a empresa lançou uma atualização de emergência para o iOS fechando uma falha que permitia o Jailbreak de iPhones, mas que também poderia servir para que malfeitores infectassem um aparelho com código malicioso.

Apple acusa Google de criar pânico ao divulgar falha no iOS



A Apple postou em seu site um comunicado esclarecendo declarações recentes do Google sobre uma falha de segurança que teria permitido a malfeitores monitorar a atividade de usuários do iPhone. 


De acordo com a empresa, o post do Google cria a falsa impressão de um ?ataque em massa? para ?monitorar a atividade privada de populações inteiras em tempo real?, o que ?nunca foi o caso?.


Segundo o Google, hackers estavam explorando falhas no iOS para infectar sites com conteúdo relacionado à etnia Uighur, uma minoria da população chinesa que está sofrendo repressão pelo governo do país. A idéia seria, através dos sites, infectar os smartphones dos usuários e monitorar suas atividades. De acordo com a empresa, o ataque vinha acontecendo ?há dois anos?.


Mas segundo a Apple, evidências apontam que os ataques ficaram no ar por um breve período de tempo, e não por ?dois anos?. Além disso a falha teria sido corrigida em fevereiro, menos de 10 dias após o Google reportá-la à Apple. A empresa afirma que, na verdade, elas já estavam sendo corrigidas quando o Google as reportou.


Segundo a Apple, ?a segurança é uma jornada sem fim, e nossos consumidores podem ter confiança de que estamos trabalhando a favor deles?. Recentemente, a empresa lançou uma atualização de emergência para o iOS fechando uma falha que permitia o Jailbreak de iPhones, mas que também poderia servir para que malfeitores infectassem um aparelho com código malicioso.

Segurança iPhone Google Apple iOS Bug cibersegurança falha de segurança
Curtiu esse conteúdo? Assine nossas newsletters e fique por dentro do que acontece em primeira mão!
Compartilhe com seus seguidores
Assine nossa newsletter!
Parabéns! Sua assinatura foi recebida com sucesso!
Atenção: Em instantes você receberá um email de confirmação da assinatura. Para efetivá-la, clique no link de confirmação que você receberá. Verifique também sua caixa de SPAM, pois por se tratar de um email automático, seu servidor de emails poderá identificar incorretamente a mensagem como não solicitada.