Menu
Editorias

Hackers criam golpe que lembra um 'chupa-cabra' virtual

Daniel Junqueira
Hackers (Reprodução)
Compartilhe com seus seguidores

Pesquisadores encontraram códigos maliciosos que são capazes de roubar dados de cartão de crédito ao serem inseridos em sites

Hackers desenvolveram um novo método para roubar dados de cartões de crédito mesmo em compras virtuais, em um golpe chamado de "chupa-cabra virtual" por pesquisadores de segurança do Malwarebytes.


Chupa-cabra de cartão, como são popularmente conhecidos os "skimmers" no Brasil, são pequenos dispositivos instalados por criminosos em caixas eletrônicos ou maquininhas de pagamento e que são capazes de roubar os dados do cartão que é inserido.

O golpe é conhecido e bastante aplicado, mas só funciona em compras físicas. Agora, um novo esquema detectado pelos pesquisadores da Malwarebytes lembra bastante o chupa-cabra, mas atua em transações online.

Os hackers estariam inserindo códigos maliciosos aos metadados EXIF de arquivos de imagens, que depois seriam executados em lojas virtuais comprometidas.

Para chegar a lojas sem que seus responsáveis participem do golpe, os hackers escondiam esses códigos maliciosos em arquivos enviados pelo plugin WooCommerce, do WordPress, que é bastante usado pelo mundo e, portanto, um grande alvo de hackers. Com isso, eles conseguiam coletar dados como nome do consumidor, endereço e dados de cartão de crédito.

A ideia de esconder código malicioso em arquivos de imagem não é novo, mas os pesquisadores dizem que é a primeira vez que o esquema é usado para simular o ataque do chupa-cabra de cartão.

Segurança Hackers cybersegurança cartão de crédito cartão de débito
Curtiu esse conteúdo? Assine nossas newsletters e fique por dentro do que acontece em primeira mão!
Compartilhe com seus seguidores
Assine nossa newsletter!
Parabéns! Sua assinatura foi recebida com sucesso!
Atenção: Em instantes você receberá um email de confirmação da assinatura. Para efetivá-la, clique no link de confirmação que você receberá. Verifique também sua caixa de SPAM, pois por se tratar de um email automático, seu servidor de emails poderá identificar incorretamente a mensagem como não solicitada.