Review do WD Blue SN500: uma ótima opção de upgrade de armazenamento

Rene Ribeiro, editado por Rafael Rigues
wd blue sn500 (René Ribeiro)
Compartilhe com seus seguidores

Notebooks e desktops compatíveis com a tecnologia NVMe podem ganhar um ótimo desempenho extra com esse produto. Acompanhe o teste e conheça tudo sobre ele.

A miniaturização dos componentes eletrônicos é um avanço que os fabricantes estão sempre pesquisando e desenvolvendo. Além de economizar espaço físico, componentes menores comsomem menos energia e, em consequência, geram menos calor. 


E assim é possível desenvolver novos produtos, como os smartwatches, para citar apenas um exemplo. Mas sem querer alongar o assunto, essa introdução foi apenas para contextualizar o produto do review de hoje. Trata-se do WD Blue SN500. É uma unidade de armazenamento tipo SSD (Solid State Drive - Unidade de Estado Sólido, em uma tradução livre) para computadores.

O SSD faz o mesmo papel do HD (Hard Disk - disco rígido), porém, um SSD não pode ser chamado de ?disco?, justamente porque não tem os pratos de metal onde são armazenados os dados em um HD. O SSD possui chips no lugar de discos.

Exemplo de um SSD com interface SATA. Ele tem o mesmo tamanho de um HD de 2,5"

No início da tecnologia, em 2009, os SSD tinham o tamanho de um HD de notebook, com 2,5 polegadas e ainda usavam a mesma interface dos HDs para se comunicar com a memória e processador, chamada SATA. Os primeiros SSDs já atingiam uma velocidade de transferência bem maior do que um HD, ultrapassando os 500 MB/seg. um HD tradicional chega a 95 MB/seg. e um HD mais rápido para desktops e servidores pode atingir 200 MB/seg.

Portanto, é possível ver o quanto um HD tradicional é um gargalo para o desempenho geral do sistema. Não é eficiente ter uma máquina com processador de última geração ou a memória mais rápida quando se tem um disco lerdo. 

O WD Blue SN500 usa uma interface melhor do que a SATA, chamada NVMe (Non-Volatile Memory Express). E é tão pequeno que se parece mais com um pente de memória do que uma unidade de armazenamento. A capacidade de armazenamento é de 500 GB, e a taxa de transferência chega a nada menos do que 1.700 MB/seg., ou 1,7 GB/seg.

WD Blue SN500, da Western Digital: um SSD padrão NVMe. Dimensões pequenas, mas com muito espaço para armazenamento

Bom, explicada a sopa de letrinhas e evolução do sistema de armazenamento, vamos aos testes.  Vamos ver na prática se a velocidade prometida pela Western Digital é realmente atingida.

Instalação do WD Blue SN500

Primeiro é importante explicar que o PC (seja notebook ou desktop) precisa ser compatível com a tecnologia NVMe para usar esse produto. A foto abaixo mostra a instalação do WD Blue SN500 em um notebook Avell G1550 Muv. A instalação é simples, como pode ser visto: basta encaixar o produto no slot compatível.

Instalando o WD Blue SN500 em um notebook

Em seguida basta ligar o computador e iniciar o Gerenciador de disco do Windows (7 ou 10) e iniciar a partição do WD Blue SN500. Feito, isso, basta formatar como qualquer HD. Assim o produto está pronto para uso.

Parte de baixo do notebook e o WD Blue SN500 instalado

WD Blue SN500: os testes de desempenho

Esse notebook da Avell usa um processador Intel Core i7-9750H, de nona geração, que trabalha a 2,6 GHz e pode chegar a 4 GHz em demanda maior. A memória é de 16 GB e, como armazenamento, ele já utiliza um SSD de outra marca com 500 GB de capacidade, porém, em uma interface SATA3.

O primeiro teste utilizado foi o CrystalDiskMark. Os testes sintéticos do software medem a taxa real de escrita e leitura por meio de algoritmos e arquivos de tamanhos diferentes gerados pelo próprio software.

Aliás, este software é gratuito e pode ser baixado em seu PC (seja notebook ou desktop). Pode ser uma boa ideia para comparar os resultados do desempenho do seu disco com o WD Blue SN500. Seguem os resultados das velocidades de transferência do WD Blue SN500:

Resultado da taxa de transferência do WD Blue SN500: Leitura de arquivos ultrapassou os 1,7 GB/seg.

Interpretação dos resultados dos testes

Este software usa uma massa de dados escolhida pelo usuário. Escolhi 1 GB para não demorar muito e também porque fica dentro de uma faixa adequada para a maioria dos usuários.

Na primeira linha da figura acima, ele faz o teste de leitura e gravação sequencial de arquivos, o que é importante para saber o quanto é veloz para gravar arquivos grandes (jogos ou projetos de edição de vídeo, por exemplo) e também o quanto é rápido para fazer a leitura desses dados.

Na segunda linha da tabela, o software faz testes com arquivos pequenos de 4 Kbytes distribuídos em 8 blocos que vão se somando e se agrupando em blocos maiores (no total de 8) até formar 1 GB. É para conhecer a velocidade de leitura e gravação quando acessado vários arquivos de tamanhos pequenos.

Na terceira linha ele faz a leitura e gravação dos mesmos arquivos em 4Kbytes, porém, em um grupo maior de arquivos e em acesso aleatório. Nesse caso verifique que as taxas de leitura e gravação diminuem, pois são arquivos pequenos, lidos em partes diferentes do SSD.

Na última linha os arquivos não são agrupados, são pequenos e distribuídos também aleatoriamente, o que faz a taxa cair ainda mais.

Para ter uma ideia, veja os resultados abaixo do benchmark do SSD que já estava instalado no mesmo notebook:

Resultado dos testes do SSD que já estava instalado no notebook, apenas para efeito de comparação

A única coisa a deixar claro nas figuras acimas é que o ponto entre os números é uma vírgula. Pois no sistema norte-americano para divisão de milhar, é utilizado ?ponto?, e não vírgula. Sabendo disso, basta ver os números para enxergar a diferença das taxas de leitura e gravação que há entre o SSD SATA e o WD Blue SN500.

Software da Western Digital para clonar o sistema

Esse item é um bônus no review. Resolvi dar essa informação porque muita gente compra um SSD para fazer um upgrade de velocidade e não instalar como um armazenamento extra. Isso porque o Windows fica mais ágil, tanto no boot, quanto na memória virtual, para a qual ele usa o armazenamento. E isso acelera muito seu desempenho. Para ter uma ideia, um SSD pode deixar o computador pronto para uso em 20 segundos desde o momento em que se aperta o botão para ligar o PC.

E pesquisando no site da Western Digital, encontrei um software de clonagem. Ele deixa o WD Blue SN500 com conteúdo idêntico ao seu HD ou SSD que estava como boot na sua máquina. Na verdade esse software é desenvolvido pela Acronis, empresa especializada em soluções para manipulação de dados. Só fique atento ao seguinte: a Acronis desenvolve esse tipo de software customizado para cada fabricante de SSD. Portanto, esse software só funciona para SSDs da Western Digital.

Tela do software de clonagem disponivel no site da Western Digital. Ajuda a fazer o upgrade para o WD Blue SN500

O motivo disso é que cada fabricante de SSD usa chips e firmware diferentes. Portanto, para a clonagem funcionar perfeitamente, deve ser utilizado um SSD da Western Digital.

O software é bem fácil de ser utilizado. Depois de instalado, basta escolher na tela qual unidade de armazenamento será a fonte e qual será o destino. Escolha o modo automático e pronto, a clonagem será feita. Claro que a operação demora, pois será feito uma cópia idêntica do seu disco original. E seu SSD novo fica pronto para iniciar o Windows, porém, de forma muito mais rápida.

WD Blue SN500: conclusão

O padrão NVMe de armazenamento está se popularizando e no review foi possível verificar que ele é até 3,5 vezes mais rápido do que um SSD padrão SATA e até 16 vezes mais rápido do que um HD tradicional. Por se tornar cada vez mais comum nas placas-mães de desktops e notebooks, o preço está ficando menor.

Em uma pesquisa na internet (até a data desse review), WD Blue SN500 foi encontrado com preços que variavam entre R$ 499 e R$ 639. Se a sua placa-mãe tem o conector compatível, vale muito usar essa tecnologia, pois vai agilizar suas aplicações pesadas, como jogos, Photoshop e edição de vídeo, que usam muito o acesso a disco.

Os testes demonstraram que a taxa de velocidade até ultrapassa um pouco a marca prometida pela Western Digital. Portanto, é um produto eficiente. A dica final é: se você vai trocar de PC ou notebook, verifique se a placa mãe tem slot padrão M.2, pois somente com ele você poderá instalar esse tipo de armazenamento e garantir upgrade para um acesso ultra rápido a seus arquivos.

Nos próximos dias vou mostrar mais reviews de outros fabricantes de SSDs NVMe. Fiquem ligados por aqui no Olhar Digital.

WD Blue SN500: ficha técnica

Capacidade: 500 GB

Interface: PCIe Gen 3

Formato: M.2 2280

Desempenho De Leitura Sequencial: 1700MB/s

Desempenho De Gravação Sequencial: 1450MB/s

Dimensões (L X W X H)(milímetros): 80 x 22 x 2.38


HD SSD desempenho review armazenamento armazenamento de dados armazenamento removível nvme
Curtiu esse conteúdo? Assine nossas newsletters e fique por dentro do que acontece em primeira mão!
Compartilhe com seus seguidores
Assine nossa newsletter!
Parabéns! Sua assinatura foi recebida com sucesso!
Atenção: Em instantes você receberá um email de confirmação da assinatura. Para efetivá-la, clique no link de confirmação que você receberá. Verifique também sua caixa de SPAM, pois por se tratar de um email automático, seu servidor de emails poderá identificar incorretamente a mensagem como não solicitada.