Terroristas usam Telegram para receber Bitcoins, diz relatório

Henrique Freitas, editado por Liliane Nakagawa
Telegram (iStock)
Compartilhe com seus seguidores

Usuários são incentivados a contribuir em nome da Resistência Islâmica; autoridades estão preocupadas e avaliam tomar providências

Grupos terroristas estão utilizando canais do Telegram para incentivar doações em criptomoedas e garantir financiamento para seus ataques. De acordo com o Instituto de Jornalismo Investigativo do Oriente Médio (MEMRI), facções como ISIS, Al Qaeda, HAMAS e Estado Islâmico estão se infiltrando em serviços públicos do aplicativo russo, respaldados pela criptografia e pela rede segura do mensageiro, para convencer usuários a "contribuírem com a Resistência Islâmica".


O Bitcoin é a criptomoeda mais valorizada do mercado, com previsão de custo de US$ 45.272 em cinco anos, o que atrai a atenção de terroristas. Eles se infiltram no aplicativo em grupos organizados, preocupando usuários, desenvolvedores e as autoridades competentes. Outro prejudicado é o próprio Telegram, que esperava lançar, ainda neste ano, sua criptomoeda Gram. O projeto, que integraria o serviço ao app de mensagens, poderá ser adiado para não simplificar o fluxo de doações aos terroristas.

As autoridades sabem que o banimento do aplicativo por si só não garantiria o fim dos ataques, e veem a necessidade de buscar outros métodos. Por questões de privacidade e pubicidade dos aplicativos, tais questões podem conter brechas para usuários usufrírem de maneira errônea e até mesmo criminosa. O Telegram preferiu não comentar sobre a situação, provavelmente para abafar pontos como a fiscalização. 

Fonte: Tecmundo

Aplicativos telegram criptomoedas Bitcoin Terrorismo
Curtiu esse conteúdo? Assine nossas newsletters e fique por dentro do que acontece em primeira mão!
Compartilhe com seus seguidores
Assine nossa newsletter!
Parabéns! Sua assinatura foi recebida com sucesso!
Atenção: Em instantes você receberá um email de confirmação da assinatura. Para efetivá-la, clique no link de confirmação que você receberá. Verifique também sua caixa de SPAM, pois por se tratar de um email automático, seu servidor de emails poderá identificar incorretamente a mensagem como não solicitada.