Menu
Editorias

Facebook pede que suspensão de pagamentos via WhatsApp seja revogada

Nina Gattis, editado por Daniel Junqueira
whatsapp payment (reprodução)
Compartilhe com seus seguidores

Serviço foi interrompido menos de 15 dias após lançamento; Banco Central e Cade demonstraram preocupação quanto aos possíveis danos à concorrência

Depois que o Banco Central (BC) e o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) suspenderam o WhatsApp Pay - lançado no dia 15 de junho -, o Facebook e a Cielo, empresa de serviços financeiros que viabilizou a ferramenta, solicitaram que o tribunal reconsidere a decisão. O documento foi enviado na última sexta-feira (26), mas veio a público nesta segunda-feira (29).


O Brasil foi o primeiro país a receber a ferramenta, que tinha a intenção de possibilitar que os usuários fizessem pagamentos e transferências sem precisar sair do aplicativo de mensagens. No entanto, para o BC e para o Cade, a parceria entre o Facebook, controlador do WhatsApp, e a Cielo pode ser prejudicial à concorrência.

Como contra-argumento, as empresas afirmaram que a parceria não é exclusiva e que não representa um ato de concentração, como deduziu o Cade. Segundo o Facebook e a Cielo, o serviço não envolve fusão, aquisição ou incorporação e, como não operam no mesmo ramo, a parceria não oferece riscos. Além disso, ambas declararam que concorrentes também podem estabelecer operações com o WhatsApp.

Prédio do Cade. Imagem: ANESP

"Vale dizer: o contrato celebrado entre Cielo e Facebook preserva a atuação autônoma e independente de ambas as Partes em atividades distintas, conforme suas estratégias comerciais, e não impõe a unificação de centros decisórios", explicaram os advogados no documento enviado ao tribunal.

As empresas ainda ressaltaram que o Facebook, assim como o WhatsApp, não é uma empresa de pagamentos de origem e, portanto, não deve ser regulada pelo BC. "O Facebook e o WhatsApp apenas oferecerão um canal adicional para transações de pagamentos entre consumidores e comerciantes", afirmou o documento.

Para o Facebook e a Cielo, o BC e o Cade se basearam em "assunções equivocadas" acerca do contrato que firmou a parceria.

 

Via: Uol

Facebook Whatsapp Cade WhatsApp Pay banco central
Curtiu esse conteúdo? Assine nossas newsletters e fique por dentro do que acontece em primeira mão!
Compartilhe com seus seguidores
Assine nossa newsletter!
Parabéns! Sua assinatura foi recebida com sucesso!
Atenção: Em instantes você receberá um email de confirmação da assinatura. Para efetivá-la, clique no link de confirmação que você receberá. Verifique também sua caixa de SPAM, pois por se tratar de um email automático, seu servidor de emails poderá identificar incorretamente a mensagem como não solicitada.