Menu
Editorias

WhatsApp defende rastreio apenas sob ordem judicial

Acsa Gomes, editado por Elias Silva
Compartilhe com seus seguidores

Aprovado no Senado em 30 de junho, o projeto de lei das Fake News tem sido muito debatido entre especialistas em direito e tecnologia, políticos e sociedade civil. Seu objetivo é estabelecer novas regras para o combate às notícias falsas.

Em audiência online na segunda-feira, Dario Durigan, diretor de políticas públicas do WhatsApp, defendeu que o rastreamento de mensagens ocorra apenas se houver decisão judicial. Segundo ele, o texto como está viola a privacidade dos usuários.

Ele se refere ao artigo 10, que aborda a rastreabilidade de mensagens encaminhadas para ao menos cinco indivíduos ou grupos em um intervalo de 15 dias. O projeto determina que as plataformas armazenem os registros dos envios, bem como seus autores, datas e horários, pelo período de três meses. A medida transformaria qualquer usuário dessas plataformas em um possível suspeito.

Para Durigan, a rastreabilidade dos envios abre margem para abusos. Por isso, o WhatsApp defende rastreio de mensagens apenas sob ordem judicial informando os dados e os registros das mensagens a serem investigadas. Isso colaboraria no combate à desinformação e manteria a privacidade dos usuários.

Whatsapp rastreamento
Curtiu esse conteúdo? Assine nossas newsletters e fique por dentro do que acontece em primeira mão!
Compartilhe com seus seguidores
Assine nossa newsletter!
Parabéns! Sua assinatura foi recebida com sucesso!
Atenção: Em instantes você receberá um email de confirmação da assinatura. Para efetivá-la, clique no link de confirmação que você receberá. Verifique também sua caixa de SPAM, pois por se tratar de um email automático, seu servidor de emails poderá identificar incorretamente a mensagem como não solicitada.